E-book Grátis!

Comentários

    Facilitação gráfica: uma ferramenta poderosa

    By Dênis Elias 10 meses ago

    Foi nos Estados Unidos, na região de São Francisco, que durante a década de 60 o termo “facilitação” começou a circular nos meios empresariais. Havia na época um interesse crescente em entender os processos de interação e aprendizado do ser humano, tornando-os mais eficientes. Dentro desse contexto surgiu a figura do facilitador: um consultor externo que poderia ajudar reuniões a serem mais produtivas, auxiliando os grupos a manterem seu foco e a trabalharem em uma sequência lógica.

    Registrando as ideias em tempo real!

    Registrando as ideias em tempo real!

    Michael Doyle e Peter Strauss foram pioneiros no entendimento do papel desse facilitador: eles criaram uma consultoria para prestar justamente esse tipo de serviço às empresas da época. Por conta da sua formação em arquitetura, eles buscavam sempre criar um extenso registro visual do desenvolvimento dessas reuniões.

    Muitos outros profissionais começaram a desenvolver métodos para a facilitação de reuniões, fazendo o registro visual desses eventos. David Sibbet foi um dos principais atores nesse cenário; ao fazer registros em tempo real, utilizando grandes folhas de papel, mesclando desenhos, gráficos e tipografia, ele ajudou a embasar a metodologia que é até hoje conhecida como “facilitação gráfica”.

    Ao longo das décadas a facilitação gráfica evoluiu e tornou-se muito popular no mundo todo. As empresas perceberam que ter um facilitador gráfico presente em uma reunião é interessante não só por conta do produto final (o painel de facilitação gráfica) mas também pelo processo em si: ver o painel tomar forma, interagir com o facilitador, localizar suas próprias ideias organizadas com as ideias dos outros gera um vínculo emocional com o produto – e com o conteúdo.

    Uma das nossas facilitadoras favoritas é a Brandy Agerback. No seu livro “The Graphic Facilitators´ Guide” ela lista alguns benefícios da facilitação gráfica:

    • simplifica ideias complexas: imagens contêm mais significados que palavras;
    • registra a voz de todos, compartilha discursos e ajuda a construir consensos: transforma conhecimentos tácitos em explícitos e leva em consideração todos os discursos;
    • facilita o acesso ao conteúdo: imagens são mais universais que palavras – a linguagem visual é persuasiva;
    • promove um aumento na absorção e na memorização de conteúdos: a associação de palavras e imagens facilita a compreensão e a memória a posteriori;
    • otimiza a solução de problemas: ao ver problemas mapeados pictoricamente, as soluções surgem a partir da imagem;
    • promove a criação de vínculos emocionais com os temas abordados: o leitor se abre à compreensão através da abordagem lúdica ao conteúdo;
    • aumenta o engajamento e o impacto emocional: o design de informações é envolvente e atrai a curiosidade, principalmente quando feito ao vivo;
    • ativa a imaginação e estimula a criatividade: a utilização da linguagem visual associada à verbal oferece mais estímulos ao cérebro;
    • gera clareza: conteúdos complexos ficam mais fáceis de serem compreendidos quando se pode literalmente ver o que se pensa;
    • proporciona visão sistêmica e estimula a percepção de novas relações, conexões e significados: o produto da facilitação gráfica é uma imagem que registra momentos diferentes, tópicos distintos e permite uma variação de escala do todo ao detalhe;
    • otimiza o tempo de reuniões e processos: ao facilitar o acesso a questões complexas que normalmente são trabalhadas de forma linear, os resultados são obtidos mais rapidamente.

    Por conta disso tudo, nós somos grandes fãs da facilitação gráfica aqui no Via6B. E não é à toa: ela está na própria origem do nosso nome!

    6B é um tipo de lápis, muito utilizado por arquitetos ou ilustradores quando eles estão rascunhando alguma ideia – por ter um grafite mais macio, esse tipo de lápis permite traços mais livres, ao mesmo tempo em que inibe desenhos muito detalhados (que podem atrapalhar quando você está desenvolvendo uma ideia).

    Desde a época da faculdade de arquitetura temos o hábito de raciocinar desenhando: qualquer desafio projetual que se apresente é enfrentado através de muitas e muitas folhas de croquis, desenhos, esquemas, anotações e gráficos. E é justamente daí que vem nosso nome: Via6B quer dizer “através do lápis 6B”. Ou seja, gostamos de pensar, projetar, resolver dilemas através do desenho.

    Se você quiser conhecer um pouco mais do nosso trabalho com facilitação gráfica, veja alguns dos nossos cases – ou então venha tomar um café com a gente! Quem sabe já podemos rabiscar alguns guardanapos para começar a facilitar suas ideias?

    Category:
      Facilitação gráfica
    About

     Dênis Elias

      (20 articles)

    Designer de jogos para treinamento empresarial há mais de 15 anos. Sócio do VIA6B Estúdio de Arquitetura e Design. Músico e aquarelista. Idealizador do Ser Criativo, uma jornada com o objetivo de despertar o potencial criativo das pessoas. Atualmente vem se dedicando à maior expressão da Criatividade em sua vida: seu filho Theo.